Grupos versus indivíduos na solução de problemas

*adaptado do livro “Psicologia organizacional” (Edgar Schein)

Tem-se acreditado que um grupo pode ser mais criativo do que os indivíduos isolados, por causa do recíproco estímulo que os membros proporcionam uns aos outros, mas insto só é verdadeiro se, no grupo, existe um clima não valorativo, uma estrutura decisória adequada à tarefa, tempo suficiente para explorar a idéia não usual e se a tarefa é tal que exige extensa coleta de dados ou uma complexa avaliação das conseqüências das diversas alternativas.

Erros de julgamento são percebidos com maior probabilidade, antes de empreendida a ação, numa situação de grupo, do que no caso de se deixar ao indivíduo a responsabilidade de examinar todas as soluções alternativas de um problema. Em geral, os grupos se saem melhor do que indivíduos quando o problema tem diversas partes e quando os membros têm capacidades ou informações diferentes e complementares que podem ser reunidas num processo de solução do problema. Não é por acaso que, tendo se tornado mais complexos os negócios, cada vez mais tenha se feito uso de grupos para solução de problemas.

Para se determinar se convém ou não usar um grupo ao tomar uma decisão, um dos critérios mais importantes diz respeito à avaliação referente a por que e como implementar a decisão. As pessoas têm maior probabilidade de pôr em prática uma decisão que ajudaram a tomar do que uma decisão que lhes foi imposta. Portanto, se é importante a implementação eficiente, é importante que, na medida do possível, as pessoas encarregadas da implementação demonstrem interesse pela mesma, e para isso pelo menos se deve perguntar-lhes se vêem algum problema na decisão proposta.

No caso de ficar decidido o emprego de um grupo para executar uma tarefa, o líder deve reconhecer e compreender alguns dos muitos fatores dinâmicos, ambientais e associativos que atuam dentro deste grupo. Para que o grupo tenha um rendimento eficiente, deve-se permitir-lhe o desenvolvimento de um clima no qual seus membros confiem uns nos outros o suficiente para se disporem a trocar informações e criticar sinceramente as idéias uns dos outros. O líder deve assegurar que a tarefa ou as metas do grupo estejam nitidamente compreendidas e que se obtenha um consenso suficiente para possibilitar um trabalho conjunto numa direção comum. Se o líder não deseja investir tempo e energia para ajudar o grupo a desenvolver-se, não é o caso, então, de se fazer uso do grupo.

Anúncios

Um comentário sobre “Grupos versus indivíduos na solução de problemas

  1. trabalhar em grupo hoje em dia é muito difícil pois todo mundo tem idéia diferente salvo em alguns casos em que conseguimos fazer isso de uma maneira harmoniosa ,produtiva e solucionar o probrema.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s