Principais conceitos de gestão em livros

Quer aprender os principais conceitos do mundo dos negócios em poucos e bons livros? Na lista a seguir coloquei alguns dos títulos que li ao longo dos anos e com os quais aprendi diversas coisas que utilizo diariamente.

O resumo dos livros foi retirado do site das livrarias (Submarino e Cultura), mas no blog você encontra resumos e trechos de quase todos eles (utilize os links das tags ao lado).

Para comprar esses 6 livros novos (na Cultura) você vai gastar algo em torno de R$ 370,00. Uma opção é comprar os livros semi-novos no site Estante Virtual.

Boa leitura!

O gerente eficaz / Peter Drucker

A principal proposta deste livro é demonstrar que a eficácia pode ser aprendida. Discernimento só se torna eficácia através de árdua trabalho sistemático. Inteligência, imaginação e conhecimento são qualidades essenciais, mas somente a eficácia poderá convertê-las em resultados; por si mesmas, elas apenas estabelecem limites para o que pode ser obtido. A eficácia, afirma o autor, é um hábito, isto é, um complexo de normas práticas.

Paixao por vencer / Jack Welch
“Análise simples e abrangente de como alcançar o sucesso nos negócios – para todos, desde recém-formados até CEOs”. – Bill Gates, chairman, Microsoft Corporation O CEO nº 1 do mundo fala sobre gestão Paixão por Vencer oferece respostas para as perguntas mais desafiadoras com que as pessoas se defrontam no trabalho e fora do trabalho. O objetivo de Welch é dirigir-se a leitores em todos os níveis das organizações. Seu público abrange trabalhadores de fábrica, estudantes universitários e MBAs, gerentes de projetos e executivos seniores. Welch descreve seus princípios básicos em negócios e dedica quase todo o livro ao que realmente importa no trabalho – como liderar, como contratar e como progredir. Seu propósito é ajudar todas as pessoas apaixonadas pelo sucesso.

A ciência da gestão / Clemente Nóbrega
Clemente Nobrega explica as leis da dinâmica da gestão empresarial e define uma moldura gerencial com base científica, utilizando exemplos atuais do mundo dos negócios e, desse modo, construindo passo a passo a idéia de gestão como ciência – capaz de produzir resultados com mais chances de sucesso.

Feitas para durar / Jim Collins
Segundo Collins, o livro não é sobre líderes visionários e carismáticos. “Não trata de conceitos de produtos visionários nem de intuições visionárias com respeito ao mercado. Feitas para durar trata de algo muito mais importante, duradouro e substancial: as empresas visionárias. Elas são instituições líderes em seus setores, muito admiradas pelas outras empresas da área e com um longo registro de impactos significativos sobre o mundo à sua volta.” Por que empresas como a Procter e Gamble, Johnson & Johnson, GE, Citicorp e Philip Morris se tornaram líderes, passando à frente de rivais como Colgate, Bristol-Myers, Squibb, Westinghouse, Chase Manhattan e RJR Nabisco? O livro dá a resposta e mostra que o desempenho delas vem sendo 15 vezes superior ao da média do mercado acionário desde 1926.

A origem das marcas / Al Ries
Nesta obra, os autores aplicam ao processo de branding a idéia revolucionária de Charles Darwin sobre evolução. O resultado é uma estratégia diferenciada para criar produtos inovadores, construir uma marca bem-sucedida e, assim, alcançar o sucesso corporativo. Os autores explicam como certas mudanças nas condições do mercado criam infindáveis oportunidades para se construir novas marcas e prosperar. Mas essas oportunidades não estão onde a maioria das pessoas e das companhias procuram, isto é, na convergência de categorias existentes como televisão e computador, telefone celular e Internet. As oportunidades estão na direção oposta – na divergência. Segundo a dedução de Darwin de que novas espécies surgem da divergência de uma espécie existente, Al e Laura Ries traçam uma estratégia eficaz para criar e levar ao mercado uma marca eficiente.

O óbvio / James Dale
O mundo dos negócios parece muito complicado para quem está de fora. Muita gente pensa que basta uma excelente formação teórica para atingir o sucesso. Em ‘O óbvio – Tudo que você precisa saber nos negócios’, James Dale mostra que o segredo do sucesso está em reconhecer e aplicar as mensagens claras, frutos do bom senso, intrínsecas ao cotidiano, e que poucas pessoas são capazes de valorizar.

O cliente tem sempre razão… mesmo quando está errado

*extraído e adaptado do livro “O Óbvio” (James Dale)

“O cliente tem sempre razão” é um dos ditados mais antigos do mundo dos negócios. É verdadeiro? Claro que não.

O cliente freqüentemente está errado. Afinal, ele é humano.

Chega na loja depois do horário, e o horário está anunciado na porta. Errado.

Espera encontrar um lugar em um avião lotado. Errado.

Quer um reparo dentro da garantia que não cobre esse conserto. Errado.

Mas não há nada a lucrar provando esse erro. O cliente jamais vai dizer: “Obrigado, é uma grande alegria saber que estou errado. Nunca mais vou cometer esse erro.”

Em vez disso, o consumidor vai procurar, e quase sempre vai encontrar, uma loja que esteja aberta no horário conveniente para ele, uma empresa aérea que tenha mais vôos, ou uma garantia que cubra mais partes por mais tempo.

Os clientes estão sempre certos, mesmo quando estão errados.

No final, eles determinam como será feito o negócio; eles são o mercado, e sem eles não há negócios.

Uma desculpa não é uma razão

Uma desculpa não é uma razão
*trecho extraído e adaptado do livro “O Óbvio” (James Dale)

Ninguém quer saber por que você não fez o que disse que faria – não fechou o acordo, não assinou o contrato, não despachou a mercadoria a tempo, não foi à reunião, não retornou a ligação, não respondeu ao e-mail, não realizou a inspeção, não conservou o cliente, não aumentou os lucros.

De fato, a única coisa pior do que não fazer o que você disse que faria é dar desculpas para explicar o que aconteceu… ou não aconteceu. O que quer que você diga acaba sempre soando como “meu cachorro comeu a lição de casa”.

Desculpas típicas que não funcionam:

– As que indicam pouco: poucos funcionários, pouco dinheiro, pouco estoque
– As que indicam muito: muito trabalho, muita pressão, muitas despesas
– As que indicam algo ruim: vendedores ruins, chefe ruim, cliente ruim, moral ruim, dividas ruins, impostos ruins, leis ruins
– As que indicam falta: falta de controle, falta de planejamento
– As que indicam mudança: a competição mudou, o mercado mudou, a economia mudou
– As de caráter pessoal: pneu furado, despertador quebrado, carro quebrado, agenda perdida, caneta vazando, dor de estômago/cabeça/costas
– As modernas: servidor fora do ar, vírus no computador, arquivos corrompidos, spam, impressora com problema, celular sem sinal

Nada disso é razão para não fazer o que disse que faria. Todos são apenas fatos na vida profissional. As empresas estão sempre com funcionários a mais ou a menos; as finanças são apertadas (ou deveriam ser em uma empresa bem administrada); os preços são mais altos do que os de alguns concorrentes, mais baixos que de outros; despesas têm de ser controladas, o estoque deve ser administrado, os clientes devem ser conservados.

Competição é fato; mercados mudam; a economia sobe, desce e sobe novamente. Coisas acontecem. Essas coisas podem e devem ser abordadas. Caso contrário, são desculpas para o fracasso – desculpas inaceitáveis.

Não há boas desculpas para falhas profissionais, mas existem razões. Elas não ocorrem sempre e são somente três.

– Prioridade: as vezes temos de fazer escolhas. Você tem um pequeno estoque de matéria prima e tem de escolher entre atender a um ou a outro cliente. Você vai à reunião com o chefe ou ao encontro com o cliente? Você reduz o lucro para fechar um contrato ou estabelece um preço realista e perde o contrato? Escolhe uma necessidade familiar ou uma necessidade profissional?

– Realidades de mercado: a concorrência escolhe perder dinheiro em contratos para ganhar mais mercado. A economia entra em recessão e todos sofrem. O governo altera o ambiente empresarial.

– Desastre: morte e catástrofe natural. Isso acontece, raramente, mas acontece. E não exige explicação.

Quando as coisas dão errado, trate do que houve de errado com serenidade e honestidade. As pessoas que se dão melhor não usam desculpas, elas superam problemas.